sexta-feira, 13 de Junho de 2008

CRIANÇAS MALTRATADAS









Seis crianças são atendidas por dia nos hospitais portugueses vítimas de maus-tratos, abuso sexual e negligência.Entre 2002 e 2004, 102 instituições do Serviço Nacional de Saúde dizem ter recebido 7033 crianças em risco. Este número poderá, no entanto, ser ainda maior, já que, de acordo com o relatório da IGS, muitos centros de saúde e hospitais não registam as crianças maltratadas que atendem.Algumas instituições inquiridas asseguram que contactam as entidades policiais quando detectam casos de maus-tratos, outras garantem que encaminham os casos para as comissões de protecção de menores e algumas não respondem se fazem qualquer tipo de encaminhamento.Há também estabelecimentos de saúde que afirmam não ter tido resposta das comissões de protecção de menores quando a solicitam.


- A Associação da Apoio à Vítima (APAV) revela que quase uma centena de crianças foi maltratada nos três primeiros meses do ano. Segundo um estudo feito pela associação, em 60% dos casos o crime é cometido pelos próprios pais das crianças.


- Entre Janeiro e Março, a APAV registou 84 casos de maus-tratos. Os maus tratos psíquicos foram o crime mais frequente (53 casos). Foram também denunciadas três violações, oito abusos sexuais e 15 casos de ameaça/coação.


- A faixa etária das crianças mais afectadas é entre os 11 e os 17 anos (39,2%). Ente os seis e os 10 registaram-se 27,8 % dos casos e em crianças com menos de quatro anos registaram-se 19,6 %.


- O agressor é um homem em 80% dos casos. As estatísticas dizem que em 15% dos casos o agressor está desempregado e em 13,4% são operários, artífices e trabalhadores da construção civil.


- Mais de metade das vítimas concentra-se em Faro, Lisboa e Porto. A APAV avança com a explicação de que estas cidades são algumas das que têm mais população no país.

- Portugal, a nível mundial, é o sexto país com maior número de mortes de crianças por maus-tratos





Objectivos gerais e específicos do Instituto de Apoio à Criança


Objectivos Gerais
- Prevenir situações de perigo ou problema

- Ouvir e dar Voz à Criança e ao Jovem

- Promover e defender os direitos da Criança

-Apoiar a Criança e a Família

- Promover a integração social da Criança e da Família

- Contribuir para o desenvolvimento harmonioso e integral da Criança /Jovem

-Garantir à criança o direito à palavra, protecção em situação de risco/ou mau trato, quando privada de afeição, isolada, abandonada, ameaçada de agressão física, sexual, negligenciada ou obrigada a trabalhar prematuramente.

- Sensibilizar as estruturas oficiais e particulares e da sociedade em geral para a problemática da criança



Objectivos Específicos

- Informar
- Orientar
- Acompanhar
- Encaminhar
- Reflectir
- Reavaliar

- Mediar
- Promover
- Sensibilizar
- Prevenir
- Humanizar
- Despistar


Sem comentários: